Reflita: sua equipe sabe conciliar as vendas com cartão? Você acha que por se tratar de uma pequena empresa, ela não tem condições de realizar esta tarefa?

Este artigo foi criado pela empresa Conciliadora em parceria com a 4blue

 

Todos os dias micros e pequenas empresas são criadas no Brasil. De acordo com o estudo de mercado do Sebrae, as pequenas empresas são responsáveis por 99% de todos os negócios no país, o que demonstra a força deste tipo de negócio para a nossa economia.

Porém, na maioria dos casos, esses negócios não sabem como conciliar suas vendas em cartão com uma equipe pequena.

Como consequência disso, o setor financeiro acaba ficando prejudicado perdendo dinheiro ou pagando taxas extras, sem perceber ao não fazer uma gestão correta dos cartões.

Um dos maiores desafios de qualquer empresa é saber a forma ideal de lidar com as suas finanças. Isso porque a forma como você lida com o controle financeiro é determinante para seu sucesso e crescimento.

O que muitos não sabem é que existem caminhos fáceis e seguros para qualquer empresa.

Você quer saber como conciliar suas vendas com cartão? Leia estas três dicas essenciais de como a conciliação de cartão de crédito, débito e benefícios pode ser uma mão na roda para micros e pequenos empreendedores.

 

#Dica 1: Saiba a importância de conciliar as vendas para o seu negócio

 

 

Independente do tamanho do seu negócio, ter uma  gestão financeira é fundamental para garantir o controle efetivo de ganhos e custos.

Mais investimento, menos gastos e mais rentabilidade:

A conciliação de cartões, ao contrário do que se pensa, não é um trabalho a mais e sim uma forma de garantir a efetividade da gestão financeira. Com o auxílio de uma ferramenta de conciliação, essa tarefa passa a ser executada com mais facilidade e as empresas economizam tempo e esforço.

Dessa forma, é possível desenvolver um planejamento para otimizar suas despesas.

Com ela, você:

 

#Dica 2: Tenha os benefícios da conciliação de cartão em uma única plataforma

 

Você pode economizar mais tempo da sua equipe e evitar erros humanos. Para isso, tenha os benefícios da conciliação de cartão em uma única plataforma.

Conciliar manualmente requer a busca de relatórios no site de cada uma das adquirentes com as quais a empresa trabalha e consequentemente isso atrasa todo o processo.

Já com uma única ferramenta de conciliação automatizada e especializada, as transações de todas as adquirentes estarão em um único lugar e serão auditadas automaticamente.

Os registros são obtidos juntamente às adquirentes e as atualizações são diárias. Desta forma, você terá total controle de suas vendas realizadas com cartão.

Inicialmente, você pode fazer um controle diário, semanal, quinzenal ou até mesmo mensal para ir se acostumando com o sistema. Mas quando já estiver habituado, você poderá fazer tudo isso em apenas 30 minutos diários. Isso será mais do que suficiente para realizar essa atividade!

Para refletir e te ajudar:

Sem a conciliação de cartão
Equipe pequena + gestão financeira = maior o tempo perdido.

Com a conciliação de cartão
Equipe pequena + gestão financeira = otimização de tempo.

 

#Dica 3: Plataforma de conciliação de cartões simples e intuitiva

Existem diversos sistemas de conciliação de cartão no mercado. Mas qual escolher?

Se a sua empresa quer dar um show em conciliação de cartão, escolha uma plataforma que seja bem simples e intuitiva. Analise se há por trás uma equipe especializada que te dará suporte.

E o melhor de tudo, opte por uma plataforma que seja online! Você não precisa baixar e instalar nenhum tipo de programa ou software. Tudo isso, para facilitar o seu dia a dia e o dos seus funcionários.

Com a conciliação de cartões, você estará seguro que suas taxas em cada adquirente estarão corretas e terá a certeza de que tudo que vendeu será realmente pago. Nenhuma cobrança indevida ou pagar taxas extras serão passadas em branco.

Além disso, por fornecer os dados de todas as adquirentes em uma só plataforma, a consulta posterior dos registros para um planejamento financeiro fica muito mais fácil. E assim, você poderá cuidar melhor da saúde financeira do seu negócio.

 

#Dica 4 - Conciliação de cartão realizada de forma constante

Vai começar a conciliar suas vendas com cartão de crédito e débito?

O primeiro passo é qualificar e treinar toda a sua equipe. Faça com que cada integrante saiba a importância que a conciliação de cartão tem em uma pequena empresa.

Em seguida, mantenha o monitoramento constante. Atualize as contas de forma diária ou semanal. A dedicação faz toda a diferença!

Se você deixar os dados desatualizados, as informações conciliadas terão dados distorcidos. Além disso, não será possível identificar nem contestar as divergências a tempo. Aí pode dar adeus aos melhores benefícios da conciliação: economia de dinheiro e tempo!

E se você conseguir economizar 2%, 7%, ou até 10%, irá perceber que esses valores farão total diferença no controle financeiro da sua pequena empresa.

Mas não se preocupe. Com uma plataforma automatizada, logo esta tarefa fará parte da rotina na sua equipe.

O planejamento financeiro com a conciliação de vendas com cartão é essencial para sua pequena empresa! É simples, rápido e assertivo, feito para melhorar a saúde financeira do seu negócio.

Uma boa dica para começar 2019 com novos planos e colocar em ação projetos que vão mudar o seu ano.

Equipe Conciliadora

 


Se lhe perguntarem se a empresa tem um sistema financeiro (ou uma boa planilha), você dirá que sim.
Se perguntarem se controla todas as movimentações de entradas e saídas, você dirá que sim.
Se perguntarem se sua gestão financeira está em ordem, você dirá que sim.

Obs.: este post tem como objetivo apontar possíveis erros que você está cometendo e talvez não saiba. Como a solução requer mais palavras, estamos disponibilizando gratuitamente um e-book que entra com mais detalhes no assunto.

Mas será que está mesmo?!

Abaixo listamos os 5 principais erros dos empresários que pensavam ter um bom controle financeiro, quando na realidade não tinham.

 

1. Não sabe realmente a diferença entre custos variáveis e despesas fixas

A GRANDE MAIORIA dos empresários tem um entendimento errado de Custo Variável versus Despesa Fixa.

É comum vermos gastos como luz, água e telefone sendo classificados como Custo Variável, quando na realidade são Despesas Fixas (pelo menos na grandiosa maioria dos casos). Também é comum se classificar algumas despesas pontuais, sazonais ou imprevistos como custos variáveis, quando na realidade não são.

Este erro de classificação prejudica toda e qualquer análise que se possa fazer por meio do fluxo de caixa do seu negócio.

ebook-5-sinais-controle-financeiro-

 

2. Não segue a categorização ideal de contas

Este erro está diretamente atrelado ao anterior.

Normalmente as empresas separam as contas em três grandes grupos: Receitas, Custos Variáveis e Despesas Fixas. Porém, na realidade, existem 6 grandes categorias:

Assim, para um controle financeiro correto, é bem importante que você classifique as entradas e saídas nestas macro categorias. Desta forma, conseguimos elaborar um relatório de fluxo de caixa ideal para o seu negócio.

Se você não segue esta estrutura de categorização, seu controle financeiro não está tão bom quanto você pensava.

Para entender perfeitamente qual a diferença entre as classificações acima e como implementar em seu sistema, acesse nosso e-book aqui.

 

3. Existem contas (categorias) muito genéricas

É muito comum encontrar nos controles financeiros das empresas categorias de contas extremamente genéricas. Tais como: “institucional”, “outras saídas”, “mensalidades”, “pagamentos”, “despesas”, etc.

Aí quando você olha com mais atenção, entra de tudo um pouco nestas contas. Aí você vai analisar e pergunta: o que é esta conta e porque ela é tão representativa? “Ah, é que... veja bem...”.

Não tenha contas coringa no seu controle!

Em nosso e-book, nós mostramos qual é o modelo ideal de Categorização das contas.

 

Adicional: é comum também haver duplicidade de categorias de contas. Já aconteceu de encontrarmos num único sistema, contas chamadas “Luz”, “Energia Elétrica” e “Eletricidade”. São três nomes diferentes para exatamente o mesmo tipo de conta.

Isso lhe impossibilita de saber de forma prática e rápida o total que você gastou com energia elétrica no ano, por exemplo.

 

4. Os saldos bancários e de caixa não batem com os saldos no sistema/planilha

A única garantia que temos que, de fato, tudo foi lançado no sistema ou planilha é a conferência dos saldos bancários e de caixa (dinheiro vivo).

Se o seu banco diz que você possui um saldo de 17.489,23 no banco, você precisa apresentar exatamente o mesmo saldo em sua ferramenta. Se houver um centavo de diferença, significa que está errado.

Veja minha conversa abaixo com uma cliente que não estava com o saldo bancário batendo... (obs.: tínhamos oferecido uma caixa de bombom se ela continuasse com o financeiro impecável, visto que ela estava assumindo uma função que não era dela na empresa)

saldo-bancario-errado

Se os saldos bancários e de caixa não estão batendo exatamente com sua ferramenta, então o seu financeiro não está tão estruturado quanto você pensa!

[sim, em nosso e-book gratuito ensinamos a resolver isso ;)]

 

5. Não tem um Fluxo de Caixa estruturado da forma correta

O Fluxo de Caixa deve ser o braço direito de qualquer empresário. É com o Fluxo de Caixa que você faz as principais análises do seu negócio, toma decisões e busca aumentar os lucros.

E acredite: um bom relatório de fluxo de caixa não é meramente entradas versus saídas. Ele precisa apresentar diversas informações, tais como, Margem de Contribuição, Lucro Operacional Antes dos Investimentos e Lucro Operacional.

De forma resumida, o Fluxo de Caixa ideal é assim:

fluxo de caixa

Em nosso e-book, detalhamos como você deve montar um relatório ideal de Fluxo de Caixa.

.

[Extra] Não sabe ou não tem o cálculo do Ponto de Equilíbrio do negócio

O Ponto de Equilíbrio calcula qual o mínimo que sua empresa precisa faturar para não ter prejuízo. Ou seja, é a meta mínima de receita que sua empresa deve bater para, ao menos, ficar no zero a zero.

Se você resolver todos os itens acima – categorizar de forma correta, separar adequadamente custos variáveis e despesas fixas e ter um fluxo de caixa num formato ideal – você terá automaticamente o cálculo do Ponto de Equilíbrio do seu negócio.

Inclusive, a partir desta base, você consegue saber o quanto você precisa faturar para ter X% de lucro (seja 10%, 20%, 30%, enfim)!

Logo, se você não tem este cálculo de forma simples e fácil, sua gestão financeira não está tão boa assim.

Resolva estes problemas agora!

Baixe o nosso e-book para aprender detalhadamente como resolver cada um destes pontos na sua gestão financeira. Clique aqui.

ebook-5-sinais-controle-financeiro-

Compartilhe esse post com seus amigos!

 

Renan Kaminski Por Renan Kaminski Damasceno (REALMENTE com um bom controle financeiro)

 

Vamos nos conectar?
Newsletter
Deixe seu e-mail aqui e comece a receber dicas e novidades exclusivas!
© 2022 4blue | Desenvolvido por Fresh Lab Agência de Marketing Digital
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram