Antes de tudo, o Iluminismo Financeiro é uma Consultoria para Pequenas e Médias Empresas e tem conseguido grandes resultados para os empreendedores.

O método, desenvolvido pela 4blue, é inovador que garante eficiência e preço acessível.

O objetivo da Consultoria é fazer sua empresa lucrar 4 vezes mais e também garantir que ela seja sustentável para enfrentar qualquer crise, por isso nosso foco também é criar uma Reserva de Emergência de pelo menos 4 meses.

Parece muito para alcançar em apenas 6 meses? Mas isso já é uma realidade para os nossos clientes. 

Além disso, a 4blue tem um time especializado para atender qualquer segmento empresarial e não importa a sua localização. 

Outro ponto importante é que você pode entrar no Iluminismo mesmo se a sua empresa estiver com dívidas. De qualquer forma, nosso objetivo continua o mesmo!

Acompanhe esse texto para saber mais!

Como surgiu o Iluminismo Financeiro?

Desde 2009, a 4blue se dedica a ensinar gestão financeira para pequenas empresas.

Porém, apesar dos materiais e vídeos gratuitos liberados em nossas plataformas, nem sempre é fácil aplicar o conhecimento adquirido - principalmente se você está começando agora.

Dessa forma, a ajuda extra de especialistas acaba sendo a saída mais rápida para a sua empresa superar uma crise, se fortalecer e crescer com consistência.

Foi pensando nisso que a 4blue criou o Iluminismo Financeiro, um serviço de Consultoria Financeira totalmente adequado à realidade de Pequenas e Médias empresas. 

Apesar de ter um formato de acompanhamento 100% online, os resultados são exatamente os mesmo que você teria se contratasse uma consultoria presencial. 

Mas tem uma diferença: seu investimento é muito menor.

Como funciona o Iluminismo Financeiro

  1. Antes de tudo, é preciso validar sua inscrição. Feito isso, nossa equipe entrará em contato para finalizar essa etapa e indicar quem será será responsável pela sua Consultoria.
  2. Depois, o/a consultor 4blue entrará em contato pelo WhatsApp para dar as boas-vindas, passando as primeiras instruções e fazendo o alinhamento do Plano de Ação. Sim, o início acontece prontamente!
  3. Você receberá acesso a uma plataforma com todos os tutoriais em vídeos gravados para entender e realizar o passo a passo do Plano de Ação - essa parte é o que o consultor faria presencialmente com você, mas como dissemos, o resultado final não se altera. 

Atenção: Seja qual for o formato, o cliente precisa seguir o passo a passo de acordo com a orientação do Consultor para que o Plano de Ação aconteça.

  1. Periodicamente, em seu email, você receberá um descritivo da etapa que deve ser realizada. Esse descritivo acompanha os vídeos gravados (tutoriais da plataforma) demonstrando como fazer cada etapa. Basta assistir e replicar. 
  2. Logo ao final de cada etapa, você terá uma MISSÃO que, ao ser finalizada, marca a conclusão e sucesso desse passo. Para avançar, você deve enviar essa missão à consultoria. Isso será feito de modo simples e no seu tempo.
  3. Por último, vale ressaltar que, além dos tutoriais, você também terá acesso total ao suporte da consultoria para tirar qualquer tipo de dúvida, a qualquer momento (durante o horário comercial). 

Qual a duração da Consultoria?

Os ciclos da nossa Consultoria são de 6 meses. E nesse período você será guiado para atingir os objetivos de lucrar 4 vezes mais e gerar uma Reserva de Emergência de, pelo menos, 4 meses.

Mas apesar de conseguir atingir esse degrau de forma rápida e eficiente, o recomendado é que o cliente permaneça por outros ciclos para, de fato, implementar a consistência em seu negócio através de uma gestão eficiente.

Esse tempo de permanência é importante para que você consiga tomar decisões assertivas com clareza e segurança que vão garantir o futuro do seu negócio.

Quanto custa a Consultoria Iluminismo Financeiro da 4blue?

A pergunta correta é: Quanto custa ficar sem saber quanto sua empresa gera de PREJUÍZO?

O trabalho dos consultores financeiros vai muito além de ajudar a preencher planilhas. São eles que detectam, com agilidade, COMO POTENCIALIZAR SEU LUCRO E ELIMINAR A PERDA DE DINHEIRO NO SEU CAIXA!

O valor hora dos consultores é feito em cima de:

Ou seja, o valor dos consultores financeiros é MUITO ALTO!

Geralmente, uma consultoria financeira para pequenas empresas acaba sendo inacessível, pois fica entre R$ 15.000,00 a R$ 25.000,00.

SABEMOS QUE ESSA NÃO É A REALIDADE DOS PEQUENOS EMPRESÁRIOS, POR ISSO, NÃO COBRAMOS ESTE INVESTIMENTO NO ILUMINISMO FINANCEIRO.

Assim, se você já quer se cadastrar, clique aqui e vamos entrar em contato com você!

Veja os resultados dos nossos clientes:

E se ainda está com dúvida, você pode ver o que eles mesmo têm a dizer:

Depoimento cliente iluminismo Financeiro #1
Depoimento cliente #2
Depoimento cliente #3
Depoimento cliente #4

A 4blue dá garantia sobre dobrar o lucro?

Ao se inscrever no Iluminismo, você ganha direito a 2 tipos de garantia:

👉 A garantia de 30 dias INCONDICIONAL. Ou seja, você pode testar por 1 mês e se achar que a consultoria não é pra você ou se quiser desistir por qualquer motivo, a 4blue devolve o seu dinheiro investido. 

👉 Garantia de LUCRO OU LUCRO. Ao final dos 6 meses, se tiver seguido o passo a passo da consultoria e não aumentar em, pelo menos 50% seu Lucro Operacional (e no caso de não ter nenhum lucro hoje, se não passar a ter), você pode solicitar seu reembolso TOTAL.

E por que damos essas garantias? 

Porque CONFIAMOS no Iluminismo e SABEMOS que funciona!

Além disso, nós temos depoimentos incríveis de clientes contando como suas empresas dobraram, triplicaram e até quadruplicaram suas receitas com nossa Consultoria. 

Agora eu te pergunto:

Há quanto tempo você tá tentando SOZINHO/A fazer sua empresa dar certo e não consegue resultados? Quantas tentativas frustradas você já teve? Até onde você e sua família vão aguentar esperar para que sua empresa dê certo?

A garantia nós damos, mas quem faz acontecer É VOCÊ.

Qual a diferença do Iluminismo Financeiro para os cursos de Finanças da 4blue?

Antes de mais nada, tanto o Iluminismo quanto os outros cursos da 4blue são embasados na metodologia 4blue de gestão financeira.

Contudo, o Iluminismo é um processo de consultoria no qual você tem o contato direto com um/a consultor/a para tirar suas dúvidas específicas.

Assim, ele(a) irá te acompanhar etapa por etapa, dando suporte direto para revisar o que você está fazendo, te ajudar nas análises e até receber “cobranças” se você não estiver avançando nas fases e cumprindo o passo a passo.

“Mas será que funciona pra mim? Minha empresa é MEI diferente... MEI complexa, meu problema é muito difícil de se resolver...”

Portanto, não importa, seja qual for a complexidade e o segmento do seu negócio, nosso método vai deixar seu financeiro mais simples, lucrativo e forte para vencer qualquer crise!

RESUMINDO!

- Em primeiro lugar, o Iluminismo Financeiro é para quem tem PRESSA de fazer acontecer e está disposto/a a ser orientado/a por um especialista que vai te fazer botar a mão na massa, sem esperar por milagres.

- Além disso, é para quem consegue separar, pelo menos 2 horas por SEMANA, durante um mês (depois vai diminuindo) para aprender a ENXERGAR o seu financeiro!

- Por fim, o Iluminismo não é um gasto, é INVESTIMENTO que dá direito a, NO MÍNIMO, aumentar em 50% seu Lucro Operacional!

Sobre a 4blue!

Somos apaixonados por finanças e pequenas empresas e já atendemos mais de 3.000 clientes no Iluminismo Financeiro e mais de 20.000 clientes em cursos e treinamentos. 

E além disso, estimamos que mais de 1 milhão de empreendedores já foram impactados por nossos conteúdos.

A missão da 4blue resume muito bem o nosso propósito: Fazer pequenas empresas se tornarem grandes.

Por isso, saiba que por trás da 4blue, existe um time de empreendedores que é apaixonado pelo que faz e não mede esforços para continuar levando cada vez mais conhecimento de qualidade para quem precisa. 

Assim, essa paixão contagia também nossos clientes e alunos.

Dessa forma, se você tem um pequeno negócio, trabalha muito e não vê a cor do dinheiro, nós queremos e podemos te ajudar a ter uma empresa lucrativa e voltar a amar seu negócio. Vem com a gente!

CLIQUE AQUI PARA SE INSCREVER NO ILUMINISMO FINANCEIRO

O yampa é um software da 4blue que ajuda pequenas empresas a fazer o controle e a análise financeira da sua empresa.

Antes de mais nada, o Caderninho não pode ser o principal sistema para administrar o seu dinheiro.

Além disso, um conselho do coração azul aqui, APOSENTE o seu caderninho (NO MÁXIMO, use ele apenas como APOIO) e venha conhecer o sistema yampa.

Abaixo, fizemos um artigo contando os porquês dessa ferramenta ser ideal para seus negócios. Acompanhe desde já!

O que é o yampa ?

O yampa é um software que faz o controle financeiro de pequenas empresas por meio de entradas e saídas BEM DEFINIDAS. O foco da ferramenta é trabalhar com o princípio de caixa, ou seja, fazer os lançamentos do dinheiro que, de fato, entrou e saiu da empresa.

Por isso, você terá uma visão clara e rápida das Entradas e Saídas divididas por categorias padronizadas - o Plano de contas.

Em outras palavras, você saberá quanto do dinheiro da empresa foi para os Fornecedores, Salário de funcionários, Taxas, Investimentos. Assim como, também saberá quanto de dinheiro entrou por tipo de recebimento ou serviço.

Acima de tudo, nós sabemos que o relatório principal da vida de um empresário é o fluxo de caixa - ele é o apoio na tomada de decisões financeiras e gerenciais.

Portanto, a estrutura de fluxo de caixa criada pela 4blue e estruturada dentro do yampa permite que pequenos empresários tenham uma 'clareza suprema' do que acontece com seu rico dinheirinho.

Sim, isso é possível!

Pra quem é indicado?

Sobretudo, o yampa foi pensado com finalidade nas pequenas empresas que precisam de objetividade e, principalmente, rapidez no entendimento do que acontece com o lucro da empresa.

De fato, a maioria dos empresários são mais leigos em assuntos financeiros, então, se você não sabe fazer controle financeiro ou tem dificuldades para analisar os números, esse software foi feito pra você!

Se só de pensar em trocar de sistema de controle financeiro e aprender uma nova ferramenta digital te dá arrepios, aqui vai uma notícia tranquilizadora: os usuários do yampa conseguem importar os dados de, praticamente, qualquer planilha ou sistemas anteriores, assim, vai agilizar a sua utilização. 

Portanto, se você estiver se perguntando se o yampa é para o seu tipo de negócio, a resposta é SIM!

Como dissemos antes, esse software foi desenvolvido POR ESPECIALISTAS EM FINANÇAS PARA PEQUENAS EMPRESAS, dessa forma, qualquer tipo de negócio - sendo de micro, pequeno ou médio porte - pode se beneficiar com essa tecnologia para fazer análises financeiras e tomar melhores decisões! 😉

“Não entendo bem de números: o sistema yampa é automático?”

Antes de mais nada, o yampa é um sistema para a Gestão Financeira.

Dessa forma, o sistema vai gerar automaticamente o Fluxo de Caixa e indicadores importantes através dos seus lançamentos das Entradas e Saídas de dinheiro.

Como resultado, você terá mais clareza para tomar as melhores decisões pro seu negócio. Além disso, desde o início você já vai conhecendo os seus números e entendendo a situação da sua empresa.

Qualquer empresa, DE QUALQUER TAMANHO,  precisa estar financeiramente saudável.

Afinal, é financeiro que influencia diretamente em outras áreas de negócios, como os investimento em Marketing, as metas de Vendas (quanto é preciso vender para ter lucro), a Produção (gastos com mercadoria?) entre outros.

Quando entender os números do seu negócio através do yampa, você saberá exatamente o que precisa fazer para obter lucro! ​

"Mas e os dados da minha empresa? Estão seguros dentro do yampa?”

Sim! No yampa, suas informações ficam armazenadas em nuvem, com dados criptografados por SSL, 2 níveis de firewall e backups diários contra pane geral. Ninguém (nem mesmo a equipe yampa) poderá acessar seus dados sem sua permissão! 

"Sou ruim com tecnologia, como vou aprender a usar o sistema? Tem suporte?" 

SIM! E como tem! O yampa tem uma equipe de suporte especializada e bem gente boa, treinada para facilitar seu aprendizado e “destravar” qualquer obstáculo de uso do software.

Além disso, para os navegantes de primeira viagem - que nunca fizeram o controle financeiro ou utilizam caderninho - não se preocuparem: o yampa oferece um tutorial prático de uso para cada tipo de função do sistema, além de reuniões semanais ao vivo para tirar dúvidas com a equipe de suporte.

“Já tentei vários outros e nenhum deu certo pra mim. Por que o yampa é diferente?”

Primeiramente, de todos os sistemas genéricos ou populares de Fluxo de Caixa usados por pequenas e médias empresas, NENHUM É TÃO COMPLETO E TÃO VOLTADO PARA A REALIDADE DO PEQUENO EMPRESÁRIO como o yampa.

Afinal, essa é a nossa maior preocupação aqui na 4blue: fazer com que você, empresário(a) ou responsável financeiro, consiga fazer seu controle financeiro e a análise dos números de maneira SIMPLES, PRÁTICA E SEM PERDA DE TEMPO.

Falando em funcionalidades, dentro do sistema, podemos trabalhar com matriz e filial através dos centros de custos, apresentando fluxos de caixa diferentes para cada uma delas. (também podemos trabalhar com setores).

E se você trabalha com prestação de serviço, dentro do yampa você encontrará uma ferramenta chamada projetos - com ela, é possível visualizar os resultados de um projeto todo com apenas alguns cliques.

Assim, você terá uma visão dos projetos mais ou menos lucrativos e por quais fatores sua precificação precisará de um reajuste. Bacana, né?

Isso tudo é possível fazer de forma PRÁTICA E DESCOMPLICADA.

O yampa foi feito para ter uma usabilidade amigável e de fácil entendimento (depois do yampa, você não vai mais querer usar outro tipo de plataforma de controle financeiro 😉

Dentro do yampa, você jamais se sentirá desamparado/a!

Inclusive, temos vídeos com tutoriais em todos os processos, além dos nossos canais de suporte que são:

Veja o que nossos clientes tem falado sobre o yampa:

Para concluir:

👉 CLIQUE AQUI e faça seu cadastro para usar o yampa hoje mesmo!

Antes de mais nada, o curso de Finanças da 4blue, o Gestão Financeira Lucrativa (GFL), já impactou positivamente a vida de milhares de empresários que não sabiam o que fazer para salvar suas empresas da falência, comprovando a qualidade e segurança dos conteúdos desenvolvidos. 

Não somente com aulas gravadas online, o que facilita muito na tranquilidade para assistir quantas vezes for necessário, o curso também promove a mobilidade para utilizar computador ou dispositivos móveis e a flexibilidade de horários, assim o empreendedor pode montar a sua rotina conforme desejar. Fizemos um artigo para você conhecer o GFL e também entender quais benefícios traz para sua empresa. Acompanhe!

Vamos aos números!

Um dos maiores medos do pequeno empreendedor é investir tudo o que tem em seu negócio e, por falta de uma boa gestão, precisar fechar sua empresa em menos de 1 ano, conforme indicam as estatísticas

Aproximadamente, 77% do povo brasileiro sonha em empreender, de acordo com uma pesquisa internacional, realizada em 2019 pela OnePoll. Além disso, o que mais motiva essas pessoas a ter negócio próprio é a flexibilidade de horários, a vontade de ser seu próprio chefe, o desejo de aumentar a satisfação profissional e a vontade de seguir uma paixão. 

O problema é que por conta de furos na gestão dos negócios, o “sonho” e crença de que empreender é ter retorno de capital rápido, muitos pequenos empresários acabam metendo os pés pelas mãos. Portanto, falta conhecimento, não vontade!

Dessa forma, notando os erros mais comuns e que podem realmente levar tantos empreendedores à falência, a 4blue criou um curso de finanças chamado Gestão Financeira Lucrativa, GFL, que ajuda com passo a passo a identificar gargalos no acompanhamento de vendas, ensinando a como fazer para se recuperar da crise, lucrando e se mantendo firme para crescer.


Então, o curso é pra mim?

Responda essas perguntas:

Se para alguma pergunta acima você respondeu “não”, o curso é para você!

-“Quer dizer que o curso Gestão Financeira Lucrativa pode salvar meus negócios?”

Sim, se você cumprir tudo o que o Renan e o Aleks ensinam em suas 120 aulas.

-“Nossa, mas é muita coisa!”

Dessa forma, eu te pergunto: Qual é o compromisso que você tem com o seu negócio? Qual é a urgência em resolver os problemas da sua empresa? 

Eu não tenho dúvidas que se você chegou aqui nesse artigo, é porque você possivelmente já tentou de tudo, tá achando que não tem mais jeito e tá num desespero danado vendo as contas se empilharem.

E, em outras palavras, o dinheiro que é bom... nada!

Se você realmente tem compromisso com o seu sonho, o curso é sim pra você. 

E quais são os benefícios?

1. Com aulas didáticas e gravadas na plataforma, o empreendedor pode acessar o curso quantas vezes quiser, assistindo a cada módulo e recebendo presentes conforme vai avançando. São modelos de planilhas, apostilas, slides e muito material para complementar os estudos.

2. O curso pode ser feito por qualquer empreendedor de qualquer segmento. Seja o seu ramo de negócios alimentício, da saúde, varejo, franquia, minimercados, entregas, clínicas, esportes e muito mais. 

3. O Gestão Financeira Lucrativa - GFL - não é limitado às pessoas com algum grau de formação e nem áreas específicas. Dessa forma, é para todos que querem crescer com suas empresas e vencer a crise. 

4. Já no primeiro módulo é possível cobrir o investimento feito no curso, enquanto você aplica o que será ensinado. 

5. A didática é leve, simples e bem humorada. Então, não espere por aquelas aulas mirabolantes em que você sente que está mais confuso do que realmente aprendendo algo. O assunto é sério, mas não precisa ser chato e nem complicado.

6. Você começar a ter paz e dormir bem sabendo que a sua empresa está com boa saúde financeira e os cálculos redondos.

7. Você faz a gestão do seu tempo. Você terá acesso às aulas por 12 meses. No máximo entre 2 semanas a 4, é possível finalizar e aplicar tudo conforme for avançando.

8. Você conta com nosso Suporte Técnico pelo resto da vida para tirar dúvidas, pedir conselhos e se quiser, desabafar e mandar depoimentos de suas conquistas! ♥

Depoimento Curso de Finanças 4blue

E depois do curso, o que vou conquistar?

Logo depois que finalizar o GFL, nós garantimos que você vai conseguir:

AINDA TÔ COM DÚVIDAS, FALA MAIS AÍ SOBRE O CURSO

Ok, então, DIREITO AO PONTO:

Curso Gestão Financeira Lucrativa, o GFL, é baseado em cima dos seis pilares financeiros.

  1. Separação de finanças, assim como um bom controle financeiro, é essencial para que você tenha bons resultados. E para ter bons resultados, é necessário que você defina qual será o seu pró-labore e/ou salário dos sócios. Como fazer isso? Ensinamos no curso!
  2. Controles Financeiros. Sem planejamento e boa execução da gestão da sua empresa, é impossível tomar decisões assertivas. Como fazer isso? Ensinamos no curso!
  3. Demonstrativos Financeiros. Você precisa de relatórios para acompanhar e analisar como está a situação do seu negócio! Como fazer isso? Ensinamos no curso!
  4. Precificação. Muita gente não sabe quanto cobrar por seus produtos e serviços e há aqueles que colocam preço baseado no que o concorrente faz. ERRADO! Como fazer isso? Ensinamos no curso!
  5. Finanças Estratégicas. Você precisa analisar os números do seu negócio. Como fazer isso? Ensinamos no curso!
  6. Segurança Financeira. Praticamente a consequência de todos os cinco pilares financeiros acima, a segurança é um dos requisito MAIS importantes pra qualquer pequeno empresário. Você tem dinheiro, lucro, resultado, reserva financeira, MESMO em tempos de crise! Como conseguir isso? Ensinamos no curso!

Nosso curso de finanças é COMPLETO, sem enrolação e prático.

Acesse aqui o MELHOR e mais COMPLETO curso de Gestão de Finanças.

Você conhece o Curso GFL - Gestão Financeira Lucrativa da 4blue?

Nós fizemos um artigo sobre 6 motivos para fazer o curso e entender como aplicar no seu negócio.

Acima de tudo, ter um bom controle de gestão financeira é o principal ponto que todos os empreendedores precisam focar para que suas empresas consigam lucrar.

Porém, apesar de parecer uma necessidade e urgência óbvia, quem está empreendendo geralmente não faz o que deveria fazer: ter disciplina para monitorar e extrair relatórios de suas vendas.

Portanto, para transformar essa realidade, a 4blue lançou seu curso de Gestão Financeira Lucrativa, o GFL.

Acompanhe!

Mas exatamente para quem o curso é indicado? 

E então, você se encaixa em algum desses pontos? Se sim, confira abaixo 6 motivos para fazer o curso da Gestão Financeira Lucrativa:

1. Economia e investimento

Primeiramente, o motivo que mais dói: o bolso do empresário.

Não dá pra fugir da realidade que para ter uma empresa lucrativa, você precisa estudar. Isso é inegociável.

E a gente sabe que estudar finanças não costuma ser o assunto mais gostosinho, porém, é exatamente por aí que você deve começar.

Se por um lado saber lidar com o financeiro é fundamental, por outro, um curso de gestão financeira completo não sairia por menos de R$ 9.000.

Dessa forma, é um investimento que fica muito acima da realidade dos pequenos empreendedores do Brasil.

Enquanto outros cursos são longos e engessados (pra não dizer chatos), a 4blue desenvolveu um curso completo e 100% prático!

Afinal, é totalmente voltado para a realidade das pequenas empresas, com linguagem simples e leve, mas o melhor de tudo: por um preço extremamente acessível! 

2. Flexibilidade e mobilidade

As aulas do GFL (Gestão Financeira Lucrativa) são em formato de vídeos e 100% online, gravados e armazenados em uma plataforma, por isso você pode ver e rever quantas vezes precisar.

Ou seja, você não vai perder nenhum módulo por incompatibilidade de agenda.

Assim, você faz as aulas no seu tempo e pode tirar suas dúvidas com nosso suporte a qualquer momento (durante o horário comercial).

Além disso, é possível fazer o curso por qualquer dispositivo com acesso à internet, como tablet, celular e computador desktop ou laptop. 

3. Acesso e Suporte Técnico

Você terá acesso ao curso Gestão Financeira Lucrativa (GFL) por 12 meses, mas em poucos dias você conseguirá assistir todas as aulas e, em poucos meses, terá toda a rotina financeira necessária implantada, seguindo o passo a passo mostrado no curso.

Mas, acima de tudo você terá as planilhas e PDFs de apoio que acompanham o curso para sempre, assim como nosso suporte: uma vez cliente 4blue, sempre cliente 4blue!

Mesmo que seu tempo de acesso às aulas tenha terminado, nossa equipe de Sucesso do Cliente estará sempre à sua disposição. 

4. Sem exigência de cursos prévios

Enquanto alguns cursos exigem conhecimento prévio, para fazer o curso de Gestão Financeira Lucrativa você não precisa ter qualquer formação ou especialização preparatória. 

Justamente por isso, nós criamos uma linguagem simplificada para ensinar o que você precisa saber sobre finanças para pequenos negócios de um jeito simples, prático e sem chatice. 

Até mesmo quem nunca se aventurou nas áreas de finanças ou administração de empresas, poderá começar a estudar pelo GFL e vai conseguir entender o que é ensinado. E, dessa forma, conseguirá ter resultados!

5. Segurança 

Sabe aquela sensação maravilhosa de poder deitar no travesseiro e dormir tranquilamente porque seu negócio está finalmente mostrando sinais do seu esforço? Isso se chama SEGURANÇA, e é o que a 4blue se propõe a te entregar com o curso Gestão Financeira Lucrativa.

Afinal, você terá a Segurança de não agir mais pelo achismo, enquanto toma decisões com base nas informações que sua própria empresa mostra e ter um plano certo a seguir para ver sua empresa crescer forte como nunca!

Então, você pode ter a certeza de que não estará mais sozinho nessa jornada e ainda usando uma METODOLOGIA TESTADA, VALIDADA E COMPROVADA.

Tudo o que é ensinado nas aulas do curso GLF - Gestão Financeira Lucrativa tem embasamento acadêmico, porém, com uma linguagem adequada para pequenos negócios.

E como falamos no começo deste post: APLICOU, O RESULTADO APARECE.

6. Resultado Rápido

O primeiro módulo do Gestão Financeira Lucrativa, tem como objetivo recuperar o investimento rapidamente. Então, confira alguns dos vários depoimentos que recebemos de empreendedores como você, que também estavam perdidos sem saber o que fazer para salvar seus negócios:

Sobre a 4blue!

A 4blue está desde 2009, impactando positivamente a vida de empreendedores.

Já atendemos mais de 3.000 clientes no Iluminismo Financeiro e mais de 20.000 clientes em cursos e treinamentos. 

Estimamos que mais de 1 milhão de empreendedores já foram impactados por nossos conteúdos.

Portanto, a missão da 4blue resume muito bem o nosso propósito: Fazer pequenas empresas se tornarem grandes. Por trás da 4blue, existe um time de empreendedores que é apaixonado pelo que faz e não mede esforços para continuar levando cada vez mais conhecimento de qualidade para quem precisa. 

E então, quer entender melhor como o curso Gestão Financeira Lucrativa pode salvar sua empresa da falência?

Enfim, chega de quebrar a cabeça sozinho e perder tempo! Veja com os seus próprios olhos que aprender finanças com a 4blue pode ser mais fácil do que você imagina.

CLIQUE AQUI E VEJA TUDO QUE VOCÊ TERÁ ACESSO COM O CURSO COMPLETO DE GESTÃO FINANCEIRA LUCRATIVA DA 4BLUE.

Este artigo foi criado pela empresa Conciliadora em parceria com a 4blue

 

Você quer perder dinheiro? Claro que ninguém quer, não é mesmo? Mas existe a tal imprevisibilidade do mercado. Calma! Para ela, também existe a gestão de riscos financeiros.

 

Como anda a gestão de riscos da sua empresa? Se você nem se quer implementou esta prática, saiba que está na hora de mudar.

Isso porque, com ela, você se prepara para mudanças inesperadas no cenário econômico. O maior benefício desta atitude é a redução de possíveis prejuízos financeiros.

A palavra aqui é precaução. A sua equipe, como gestores e investidores, também vão se sentir mais confiantes nas tomadas de decisões.

 

Então, devido à sua grande importância, não deixe de entender melhor sobre como funciona esta prática. Abaixo, leia:

- O que é gestão financeira;

- O que é a gestão de riscos financeiros;

- Como é feita essa análise;

- Quais são as suas ferramentas;

- Quais são as boas práticas;

- Como os sistemas podem ajudar.

 

O que é gestão financeira?

Você já sabe o que é gestão financeira. Se trata da união de tarefas administrativas desde o planejamento, análise, controle, conferência e execução de toda a parte financeira.

O seu objetivo é manter e aumentar o lucro da sua empresa.

É um processo extenso e dividido em partes para facilitar a sua realização.

 

O que é gestão de riscos financeiros?

Primeiro, é preciso saber quais são os riscos. Além das variações financeiras que ocorrem no mercado, há a forma como você administra o seu negócio.

Veja os principais exemplos que podem acontecer:

 

- Administração inadequada das finanças;

- Endividamento exorbitante;

- Pagamento de altas taxas de juros;

- Investimentos sem retorno certo e seguro;

- Falta de conhecimento e atualização.

 

A solução?

A palavra agora é probabilidade e a ferramenta estatística.

Esta é a melhor forma de reduzir os efeitos causados pelo mercado ou erros na administração.

Trocando em miúdos: um cálculo pode analisar o valor de uma máquina em uma fábrica. Ela gera gastos exorbitantes com o conserto? Há interrupção da produção ou possíveis atrasos na entrega dos produtos?

Em seguida, se previna para que isso não ocorra e gere soluções caso ocorra.

Você sabe como fazer uma gestão de riscos financeiros eficiente? Seguem 5 boas práticas:

 

#Prática 1- Tentar prever o risco

Antes de qualquer tomada de decisão, faça uma análise da situação mercadológica. Não se esqueça também de verificar a situação financeira da sua empresa.

Isso irá te contar o que pode ou não acontecer.

 

#Prática 2 - Evitar o risco

Vai fazer um investimento que não trará retorno certo? Evite!

Corra de tudo que tem uma porcentagem alta de prejuízo.

 

#Prática 3 - Aceitar o risco

Não negue nem deixe o risco para depois. Este é um erro fatal para qualquer segmento.

Encare e arrume uma solução de forma rápida. É importante também priorizar aqueles que estão mais graves.

 

#Prática 4 - Reduzir o risco

A palavra aqui é mudança. As práticas da sua empresa devem se transformar para que os resultados consigam se recuperar.

 

#Prática 5 - Transferir o risco

Reconheça o risco e saiba o momento correto de transferi-los para terceiros. Desta forma, outras empresas terão que lidar com ele de forma mais especializada.

Um grande exemplo é a contratação de um seguro. Neste caso, você será indenizado caso o algo ocorrer.

 

Como os sistemas podem ajudar?

Já podemos concluir que a gestão de riscos financeiros é uma atividade muito importante.

Antes de fazer qualquer investimento, faça uma análise de como está indo esta prática juntamente com seus funcionários.

 

Aprenda agora como fazer da melhor forma, com a ajuda dos sistemas.

 

Gestão financeira e conciliação automatizada de cartões

Quando você confere o seu fluxo de caixa, por exemplo, está realizando uma parte importante da gestão financeira que evita a ocorrência de má administração das finanças (já citado anteriormente).

O controle das vendas com cartão de crédito, por exemplo, pode economizar tempo e dinheiro para a sua empresa!

Se você quer informações precisas e práticas nesta hora, utilize um sistema automatizado. Desta forma, é possível verificar corretamente o que está recebendo e o que deve contestar. Também monitora as taxas, cancelamentos e fraudes.

Para escolher quem vai fazer a conciliação, pesquise e você verá que existem softwares e sistemas especializados que podem automatizar a maior parte do processo e guiar a sua equipe da melhor forma nas etapas da conciliação.

A Conciliadora desenvolveu um sistema on-line que faz conferência automatizada de todas a vendas com cartão de crédito e débito desde a aprovação na maquineta até o depósito em conta bancária.

Uma boa gestão das suas finanças exige uma plataforma completa de conciliação financeira. Esta é uma gestão com armazenamento dos dados segura, por meio do Cloud Computing (Computação em Nuvem).

Quer saber mais? Acesse o www.conciliadora.com.br . E acompanhe novidades e outros artigos sobre vendas de cartão de crédito em nossas redes sociais (@Conciliadora).

 

Equipe Conciliadora

 

Reflita: sua equipe sabe conciliar as vendas com cartão? Você acha que por se tratar de uma pequena empresa, ela não tem condições de realizar esta tarefa?

Este artigo foi criado pela empresa Conciliadora em parceria com a 4blue

 

Todos os dias micros e pequenas empresas são criadas no Brasil. De acordo com o estudo de mercado do Sebrae, as pequenas empresas são responsáveis por 99% de todos os negócios no país, o que demonstra a força deste tipo de negócio para a nossa economia.

Porém, na maioria dos casos, esses negócios não sabem como conciliar suas vendas em cartão com uma equipe pequena.

Como consequência disso, o setor financeiro acaba ficando prejudicado perdendo dinheiro ou pagando taxas extras, sem perceber ao não fazer uma gestão correta dos cartões.

Um dos maiores desafios de qualquer empresa é saber a forma ideal de lidar com as suas finanças. Isso porque a forma como você lida com o controle financeiro é determinante para seu sucesso e crescimento.

O que muitos não sabem é que existem caminhos fáceis e seguros para qualquer empresa.

Você quer saber como conciliar suas vendas com cartão? Leia estas três dicas essenciais de como a conciliação de cartão de crédito, débito e benefícios pode ser uma mão na roda para micros e pequenos empreendedores.

 

#Dica 1: Saiba a importância de conciliar as vendas para o seu negócio

 

 

Independente do tamanho do seu negócio, ter uma  gestão financeira é fundamental para garantir o controle efetivo de ganhos e custos.

Mais investimento, menos gastos e mais rentabilidade:

A conciliação de cartões, ao contrário do que se pensa, não é um trabalho a mais e sim uma forma de garantir a efetividade da gestão financeira. Com o auxílio de uma ferramenta de conciliação, essa tarefa passa a ser executada com mais facilidade e as empresas economizam tempo e esforço.

Dessa forma, é possível desenvolver um planejamento para otimizar suas despesas.

Com ela, você:

 

#Dica 2: Tenha os benefícios da conciliação de cartão em uma única plataforma

 

Você pode economizar mais tempo da sua equipe e evitar erros humanos. Para isso, tenha os benefícios da conciliação de cartão em uma única plataforma.

Conciliar manualmente requer a busca de relatórios no site de cada uma das adquirentes com as quais a empresa trabalha e consequentemente isso atrasa todo o processo.

Já com uma única ferramenta de conciliação automatizada e especializada, as transações de todas as adquirentes estarão em um único lugar e serão auditadas automaticamente.

Os registros são obtidos juntamente às adquirentes e as atualizações são diárias. Desta forma, você terá total controle de suas vendas realizadas com cartão.

Inicialmente, você pode fazer um controle diário, semanal, quinzenal ou até mesmo mensal para ir se acostumando com o sistema. Mas quando já estiver habituado, você poderá fazer tudo isso em apenas 30 minutos diários. Isso será mais do que suficiente para realizar essa atividade!

Para refletir e te ajudar:

Sem a conciliação de cartão
Equipe pequena + gestão financeira = maior o tempo perdido.

Com a conciliação de cartão
Equipe pequena + gestão financeira = otimização de tempo.

 

#Dica 3: Plataforma de conciliação de cartões simples e intuitiva

Existem diversos sistemas de conciliação de cartão no mercado. Mas qual escolher?

Se a sua empresa quer dar um show em conciliação de cartão, escolha uma plataforma que seja bem simples e intuitiva. Analise se há por trás uma equipe especializada que te dará suporte.

E o melhor de tudo, opte por uma plataforma que seja online! Você não precisa baixar e instalar nenhum tipo de programa ou software. Tudo isso, para facilitar o seu dia a dia e o dos seus funcionários.

Com a conciliação de cartões, você estará seguro que suas taxas em cada adquirente estarão corretas e terá a certeza de que tudo que vendeu será realmente pago. Nenhuma cobrança indevida ou pagar taxas extras serão passadas em branco.

Além disso, por fornecer os dados de todas as adquirentes em uma só plataforma, a consulta posterior dos registros para um planejamento financeiro fica muito mais fácil. E assim, você poderá cuidar melhor da saúde financeira do seu negócio.

 

#Dica 4 - Conciliação de cartão realizada de forma constante

Vai começar a conciliar suas vendas com cartão de crédito e débito?

O primeiro passo é qualificar e treinar toda a sua equipe. Faça com que cada integrante saiba a importância que a conciliação de cartão tem em uma pequena empresa.

Em seguida, mantenha o monitoramento constante. Atualize as contas de forma diária ou semanal. A dedicação faz toda a diferença!

Se você deixar os dados desatualizados, as informações conciliadas terão dados distorcidos. Além disso, não será possível identificar nem contestar as divergências a tempo. Aí pode dar adeus aos melhores benefícios da conciliação: economia de dinheiro e tempo!

E se você conseguir economizar 2%, 7%, ou até 10%, irá perceber que esses valores farão total diferença no controle financeiro da sua pequena empresa.

Mas não se preocupe. Com uma plataforma automatizada, logo esta tarefa fará parte da rotina na sua equipe.

O planejamento financeiro com a conciliação de vendas com cartão é essencial para sua pequena empresa! É simples, rápido e assertivo, feito para melhorar a saúde financeira do seu negócio.

Uma boa dica para começar 2019 com novos planos e colocar em ação projetos que vão mudar o seu ano.

Equipe Conciliadora

 

Neste post vamos explicar de forma completa uma dúvida comum na cabeça dos empresários: como calcular o lucro do meu negócio?

Apesar do conceito ser simples, o cálculo pode esconder algumas armadilhas.

Não é raro encontrarmos empresários calculando de forma errada e obtendo prejuízos no negócio sem perceber.

 

De forma simples, o lucro é a diferença entre todas as receitas (de um negócio ou de um projeto) e todos os gastos envolvidos para esta operação funcionar.

Porém o cálculo do lucro pode ir além desta simplicidade...

Há outros indicadores de lucratividade que são importantes de se conhecer.

> O Lucro do produto/serviço (margem de contribuição)

> O Lucro Operacional Antes dos Investimentos

> O Lucro Operacional

> E o Lucro Líquido

 

Vamos começar pelo cálculo mais comum, o do Lucro Líquido.

 

Como calcular o Lucro Líquido

O Lucro Líquido é a diferença entre todas as receitas e todos os gastos da empresa.

De forma simplificada, calcula-se assim:

+ Receitas

– Custos Tributários

– Custos Fornecedores / Mercadorias

– Taxas de pagamento (ex.: cartão crédito)

– Despesas Administrativas

– Despesas com pessoal

– Outras despesas fixas

– Investimentos (marketing, infraestrutura, consultorias, etc.)

– Empréstimos e juros

= Lucro Líquido

 

Ou seja, o resultado líquido é a diferença entre tudo o que entrou e tudo o que saiu no período.

Porém, como falei acima, existem outras margens de lucro que você deve entender sobre o seu negócio.

Estes outros indicadores vão lhe mostrar de forma mais clara a realidade do seu negócio.

Vamos entender...

 

Como calcular o lucro no Fluxo de Caixa

Ao longo dos anos a 4blue desenvolveu um método de análise de Fluxo de Caixa mais completo e eficaz do que normalmente se ensina – em nossa opinião, pelo menos =P

Este método de análise de Fluxo de Caixa está descrito neste guia definitivo aqui. Se quiser se aprofundar, recomendo a leitura.

De qualquer forma, vamos entender a base da análise do lucro por meio do relatório de Fluxo de Caixa (FC).

 

Um relatório perfeito de FC irá ter a seguinte configuração:

+ Receita

– Custos Variáveis

= Margem de Contribuição

– Despesas Fixas

= Lucro Operacional Antes dos Investimentos

– Investimentos

= Lucro Operacional

+ou- Movimentações Não Operacionais

= Resultado Líquido

(Receita menos custos variáveis = Margem de Contribuição. Margem de Contribuição menos despesas fixas = Lucro Operacional Antes dos Investimentos (LOAI). LOAI menos investimentos = Lucro Operacinal. Lucro Operacional mais / menos movimentações não operacionais = Resultado Líquido)

 

Nesta análise nós temos 4 contas de resultado, ou seja, 4 margens de lucro:

Veja na tabela resumida abaixo como ficaria essa estrutura de Fluxo de Caixa na prática:

como calcular o lucro no fluxo de caixa

Para entender mais a fundo a leitura, acesse nosso artigo sobre Fluxo de Caixa aqui.

 

Observe que o Lucro Líquido (resultado líquido) que expliquei acima é a última linha do relatório.

Vamos entender os outros indicadores de lucro.

como calcular o lucro: curso grátis

Quer aumentar seus lucros? Faça esse curso grátis!

Margem de Contribuição (lucro do produto / serviço)

Este é um dos conceitos mais importantes da gestão financeira empresarial.

A Margem de Contribuição é o valor que sobra das vendas para pagar as despesas fixas e investimentos. Ou seja, a Margem de Contribuição são as Receitas menos os Custos Variáveis.

Na contabilidade também pode ser conhecido como Lucro Bruto.

Então, na prática a MC vai dizer o quanto você está ganhando em cada produto ou serviço vendido.

Quando você vende um produto de 100 reais, por exemplo, você pensa que tem cemzão na mão. Mas se deste valor, os custos variáveis (diretamente atrelados ao produto) forem de 60 reais, significa que na prática você tem 40 reais na mão (100 da venda menos 60 dos custos variáveis).

Esses 40 que sobraram terão que te ajudar a pagar as demais contas fixas e investimentos.

O exemplo real abaixo, de uma lanchonete, ilustra muito bem esta situação:

como calcular o lucro margem de contribuição

Dos mais de 300 mil reais que entraram na conta, sobrou 61 mil para pagar as despesas fixas.

Assim, para responder “como calcular o lucro” do seu negócio, você precisa conhecer a sua Margem de Contribuição.

Este é o primeiro indicador de eficiência das suas finanças.

Mas não é o único...

(para se aprofundar mais em todos esses conceitos, recomendo que leia também nosso artigo "Lucro. Tudo que um empresário precisa saber")

Como calcular o Lucro Operacional Antes dos Investimentos

O segundo indicador de lucro que você deve estar presente é o LOAI – Lucro Operacional Antes dos Investimentos.

Ele vai lhe dizer o quanto sua empresa lucrou na operação essencial do seu negócio . Ou seja, ele vai dizer se sua empresa é boa ou não.

O cálculo é simples:

LOAI = Margem de Contribuição – Despesas Fixas

Ou de outra forma, para não haver dúvidas:

LOAI = Receitas – Custos Variáveis – Despesas Fixas

 

O Lucro Operacional Antes dos Investimentos é o arroz com feijão do seu negócio. Se consistentemente este número estiver negativo, talvez seja hora de repensar e fechar o seu negócio.

 

Como calcular o Lucro Operacional

Se o LOAI é “antes dos investimentos”, significa que há um “investimentos”.

Os investimentos são gastos nos quais você pretende ter um retorno a curto, médio ou longo prazo.

Assim, a margem de Lucro Operacional é calculada da seguinte forma:

Lucro Operacional = Lucro Operacional Antes dos Investimentos – Investimentos

Ou então, de forma mais completa, para não haver dúvidas:

Lucro Operacional = Receitas – Custos Variáveis – Despesas fixas – Investimentos

 

Lembre como fica dentro do relatório de Fluxo de Caixa:

como calcular o lucro operacional no fluxo de caixa

O Lucro Operacional vai dizer se a operação do seu negócio é rentável ou não.

 

Ou seja, aqui você já recebeu seu dinheiro dos clientes, já pagou todos os custos variáveis, todas as despesas fixas e todos os investimentos. O que sobrar é o seu Lucro Operacional.

 

Voltando ao Lucro Líquido

No início deste post eu mostrei que havia 4 indicadores de lucro que você precisa acompanhar:

 

O último deles é o Lucro Líquido ou Resultado Líquido.

Aqui a fórmula é mais simples: tudo que entrou menos tudo que saiu.

Em nossa estrutura de Fluxo de Caixa você poderá perceber que há um “Movimentações Não Operacionais” na conta

Confira novamente lá em baixo:

como calcular o lucro líquido

As Movimentações Não Operacionais podem ser entradas ou saídas que não fazem parte da operação da empresa. Ou seja, é uma grana que entrou ou que saiu, mas que não tem relação com o cerne do negócio.

Ex.: entradas com captação de empréstimo ou venda de equipamentos usados. Ou então saídas com o pagamento de empréstimos e de juros bancários.

 

Portanto, o Lucro Líquido é calculado da seguinte forma:

Lucro Líquido = Lucro Operacional + Entradas Não Operacionais – Saídas Não Operacionais

Ou então, de forma mais completa para não haver dúvidas:

Lucro Líquido = Receitas – Custos Variáveis – Despesas fixas – Investimentos + Entradas Não Operacionais – Saídas Não Operacionais

 

Como falei, é a diferença entre tudo que entrou e tudo que saiu.

 

E então, como calcular o lucro?

Como eu falei no início, o conceito de lucro é simples, mas o seu cálculo pode esconder algumas armadilhas.

Aqui você viu que o cálculo do lucro pode ir muito além da diferença de entradas e saídas.

Ao “quebrar” a estrutura de análise em mais partes, você vai ter uma visão melhor do seu negócio.

E no fim das contas, este é o grande ponto da gestão financeira: enxergar com clareza os números para tomar melhores decisões e, consequentemente, ter mais lucro.

Por fim, ainda faltou um último conceito:

 

Como calcular o lucro em porcentagem

Para calcular o lucro em porcentagem basta pegar o lucro e dividir pela receita. Após isso, multiplique por 100 e achará o lucro percentual.

Exemplo: uma empresa que teve uma receita (faturamento) de 50.000 e um lucro líquido de 10.000. Para achar o lucro em porcentagem basta dividir 10.000 (lucro) por 50.000 (receita). O resultado será 0,20. Então, multiplique este valor por 100 e achará o resultado final: 20% de lucro.

Isso significa que de todo o faturamento (50 mil) a empresa teve 20% de lucro (10 mil).

 

Para não haver dúvidas, a fórmula do lucro em porcentagem é:

Lucro % = (Lucro / Receita) x 100

[lucro divididos pela receita e depois multiplicado por 100]

 

Achar a margem de lucro percentual do negócio irá lhe ajudar a ver os números de forma mais simples e clara.

Uma empresa que tenha um lucro anual de 1 milhão de reais pode parecer um bom negócio. Mas se você entender que o faturamento dela foi de 100 milhões, irá perceber que ela teve um lucro percentual de apenas 1%. Ou seja, o que poderia parecer um ótimo negócio, talvez esteja a apenas um erro de se tornar um negócio com prejuízo.

 

Se você quer calcular o seu lucro com precisão e ter melhor clareza dos seus números, recomendo fortemente que você faça o curso grátis de gestão financeira da 4blue.

 

Se gostou desse artigo, clica no botão abaixo para compartilhar e deixa seu comentário também!

Grande abraço!

Renan Kaminski | sócio da 4blue

curso grátis2: como calcular o lucro

Curso grátis de gestão financeira. Clique pra começar agora!

 

 

Se você tem um negócio (ou vai montar um), existe um grande objetivo financeiro: gerar lucro.

Cada empresa tem seu propósito, sua missão e sua contribuição para a sociedade. Mas quando se fala dos aspectos financeiros, não há outro indicador mais importante. Ou você gera lucro ou sua empresa não vai dar certo.

Portanto, neste artigo a equipe da 4blue vai dissecar a temática lucro para pequenas empresas.

lucro

Aqui vale um alerta: este post não tem fins acadêmicos, mas sim fins práticos. Ou seja, não estamos escrevendo para quem quer fazer uma prova, mas sim para empreendedores que estão no campo de batalha e precisam de informações práticas e sem academicismos. Ok? 😉

 

O que é lucro?

De forma simples, o lucro é a diferença entre todas as receitas (de um negócio ou de um projeto) e todos os gastos envolvidos para esta operação funcionar.

Assim, o lucro é a métrica financeiro do sucesso da sua empresa.

O lucro da empresa serve para:

> Criar reservas financeiras e dar mais segurança para o negócio

> Permitir novos investimentos para que a empresa continue crescendo

> Remunerar melhor os sócios

> Remunerar melhor os colaboradores através da divisão de lucros, como uma forma de bonificação

 

Na prática este é o indicador financeiro mais importante do seu negócio.

Se você não acompanha o lucro do seu negócio de perto, você está cometendo um erro grave em sua empresa!

Abaixo mostraremos como calcula-lo, qual a lucratividade ideal, erros que os empresários cometem e outra cositas más 😉

Como calcular o lucro do seu negócio

Apesar do conceito ser simples, o cálculo pode esconder algumas armadilhas.

Não é raro encontrarmos empresários calculando de forma errada e obtendo prejuízos no negócio sem perceber.

Quando falamos de “lucro”, o que vem a cabeça é a diferença entre todas as receitas e todos os gastos. Este é o lucro líquido.

Mas há outros indicadores que são importantes de se conhecer.

> O Lucro do produto/serviço (margem de contribuição)

> O Lucro Operacional Antes dos Investimentos

> O Lucro Operacional

> E o Lucro Líquido

 

Nós escrevemos um artigo mais completo sobre como calcular o lucro. Neste artigo detalharemos melhor todos esses itens. Confere aqui.

 

Por aqui vamos trabalhar  mais o conceito de Lucro Líquido. O LL é a diferença entre todas as receitas e todos os gastos da empresa.

De forma simplificada, calcula-se assim:

+ Receitas

- Custos Tributários

- Custos Fornecedores / Mercadorias

- Taxas de pagamento (ex.: cartão crédito)

- Despesas Administrativas

- Despesas com pessoal

- Outras despesas fixas

- Investimentos (marketing, infraestrutura, consultorias, etc.)

- Empréstimos e juros

= Resultado Líquido

 

Observe que calcular o lucro do negócio é uma conta simples, mas ao mesmo tempo que envolve diversos números.

Por isso ter um bom controle financeiro atualizado é essencial para o negócio.

 

Basta esquecer um numerozinho e sua análise já estará errada!!

Lucratividade: o que é e como calcular

A Lucratividade do negócio é a proporção do Lucro em relação a Receita da empresa. Ou seja, de todo o faturamento, quantos % sobrou como lucro.

O cálculo é simples:

Lucratividade = Lucro Líquido / Receita

(lucro líquido divididos pelo receita)

Este indicador ajuda a entender como está o seu negócio em termos comparativos, tanto com a sua própria empresa, quanto em relação a outros negócios.

Explico:

Você pode fazer uma análise de que o lucro líquido do ano passado foi de R$ 50.000, enquanto o resultado deste ano fechou em R$ 80.000.

Isso significa que um aumento de 60% de um ano para o outro (fórmula: 80.000 / 50.000 -1).

Mas e a lucratividade?

Imagine que no ano passado a empresa faturou 300.000, enquanto neste ano o faturamento foi de 800.000.

Isso significa que a lucratividade do ano 01 foi de 16% (50 mil de lucro divididos por 300 mil de faturamento); enquanto a lucratividade do ano 02 foi de 10% (80 mil divididos por 800 mil de faturamento).

 

Percebeu que apesar de o lucro ter aumentado, a lucratividade diminuiu? Ou seja, a eficiência da empresa piorou.

 

Assim, o indicador da lucratividade ajuda você a comprar a eficiência do seu negócio no momento atual versus um momento passado.

Ao mesmo tempo, você pode analisar seu negócio em relação ao negócio de terceiros. Se sua lucratividade atual é de 10% enquanto a média do seu setor é de 15%, significa que você está sendo menos eficiente que a média.

Explicamos mais sobre lucratividade neste post aqui.

 

Lucratividade e Rentabilidade. Qual a diferença?

Expliquei acima o que é a Lucratividade. Este conceito as vezes é confundido com Rentabilidade.

Lucratividade e Rentabilidade são conceitos que tem relação com o lucro do negócio, mas que na prática são bem diferentes.

A Lucratividade mostra o quanto sua empresa lucrou em relação ao quanto faturou.

A Rentabilidade mostra o quanto sua empresa está recuperando de um investimento feito.

Da mesma forma que a Lucratividade, a Rentabilidade é calculada por uma fórmula.

Fórmula da rentabilidade:

Rentabilidade = (Lucro / Investimento) x 100

(Rentabilidade é igual ao lucro divididos pelo investimento vezes 100)

Imagine que um determinado negócio teve um Lucro de R$ 80.000 no ano. E o Investimento inicial para começar o negócio foi de R$ 200.000.

Com isso você consegue calcular a Rentabilidade:

Rentabilidade = (80.000 / 200.000) x 100

Rentabilidade = 40%

Isso significa que neste determinado ano a empresa recuperou 40% do seu investimento inicial.

Existem algumas análises importantes a se fazer da Lucratividade e Rentabilidade do seu negócio. Recomendo que leia nosso artigo completo sobre o assunto (clica aqui).

 

Lucro na DRE vs Lucro no Fluxo de Caixa

Possivelmente você já ouviu falar nesses dois termos: DRE (Demonstração do Resultado do Exercício) e Fluxo de Caixa.

DRE e Fluxo de Caixa são relatórios financeiros que ajudam a entender a realidade financeira da empresa. Apesar das semelhanças entre os dois, eles trabalham a partir de princípios diferentes.

A DRE cria-se a partir do Princípio da Competência, enquanto o Fluxo de Caixa a partir do Princípio de Caixa.

Essa diferença tem algumas implicações. Abordaremos elas em breve num artigo.

Na prática a principal diferença está na forma como as vendas e seus respectivos custos são tratados.

Na DRE, as vendas são contabilizadas no ato, independente da forma que você vai receber esse dinheiro.

No fluxo de caixa você contabiliza conforme entra o dinheiro.

 

Ou seja, se você fez uma venda de 1.000 parcelada em 4x, ficaria assim:

DRE: 1.000
Fluxo de Caixa: 250 | 250 | 250 | 250

(Na DRE a venda é contabilizada no mês em que ocorreu. No Fluxo de Caixa você dá a entrada conforme o dinheiro de fato entra na conta.)

 

Por causa dessas (e outras) diferenças o lucro da DRE e o lucro do Fluxo de Caixa tendem a apresentar números diferentes.

Para uma pequena empresa, se tiver que optar pela DRE OU pelo Fluxo de Caixa, escolha sempre o Fluxo de Caixa, pois ele representa a realidade nua e crua do seu dinheiro, ok?

Nós temos um post super completo sobre Fluxo de Caixa. Confere aqui!

Lucro Operacional: o que é e como calcular

Lucro Operacional é o quanto a operação da sua empresa está dando de lucro. Ou seja, considerando todas as entradas e receitas que fazem parte da operação, quanto está sobrando ou faltando.

Para ficar mais claro:

Itens que fazem parte da operação (que influenciam no resultado operacional) são aqueles que estão diretamente ligados ao negócio. Vendas dos produtos/serviços, impostos, custos das mercadorias, comissões, despesas administrativas, despesas com pessoal, investimentos em marketing, estrutura, em consultorias, etc.

Itens que não fazem parte da operação (não operacionais) são entradas com captação de empréstimos, capitalização dos sócios, vendas de equipamentos usados. Já saídas não operacionais são os pagamentos dos empréstimos, juros, assaltos (acontece =\), e a própria distribuição de lucros dos sócios.

Assim, de forma simplificada o Lucro Operacional calcula-se assim:

+ Receitas

- Custos Variáveis

- Despesas Fixas

- Investimentos

= Lucro Operacional

 

Portanto, o Lucro Operacional indica se o seu negócio está sendo viável ou não operacionalmente.

Já o Resultado Líquido (que abordamos lá em cima) vai considerar todas as movimentações, inclusive as entradas e saídas não operacionais.

Um negócio que persiste em ter um Resultado Operacional negativo (prejuízo operacional) está fadado ao fracasso.
Espero que você esteja acompanhando este indicador em seu negócio 😉

Qual a Margem de lucro ideal para seu negócio

Entendido o que é Lucro Operacional, podemos avançar para entender qual seria este número ideal.

Primeiro: não existe um número único e universal. Cada negócio tem suas particularidades, ok?

Aqui conseguimos dar uma noção geral da margem de lucro adequada por tipo de negócio.

 

Margem de Lucro para Serviços

Prestadores de serviços tem margens altas, mas geralmente uma capacidade de venda baixa. Como prestadores de serviços geralmente dependem de horas de trabalho, é um modelo que tende a ter dificuldades maiores para aumentar constantemente suas vendas.

Assim, as margens de lucro operacional idealmente variam entre 20% a 35%.

 

Margem de Lucro para Serviços com Comissão*

Alguns prestadores de serviços pagam comissão para colaboradores/parceiros. Exemplo: dentistas, cabeleireiros, nutricionistas, etc.

Assim, neste modelo de negócios as margens automaticamente são diminuídas (mas a capacidade de venda aumentada).

Então a margem de lucro operacional ideal vai estar muito próxima a de comércios, entre 10% a 20%.

 

Margem de Lucro para Comércio / Produtos

Comércios em geral tendem a ter margens de lucro menores que prestadores de serviços. O comércio tem um custo da mercadoria, enquanto o prestador de serviço muitas vezes tem apenas seu tempo trabalhado.

Em contraposição, comércios tendem a ter uma capacidade de venda maior que a de prestadores de serviços.

Assim, a margem de lucro interessante para comércios varia de 10% a 20%. Em casos de produtos com um bom valor agregado, estas margens podem ser até maiores.

 

Margem de Lucro para Indústria

Indústrias são as que tendem ter as menores margens de lucratividade.

Seguindo a lógica acima, a indústria tem altos custos, mas também tem uma grande capacidade de venda.

Enquanto o serviço tem margens altas e baixa escala, a indústria tem margens pequenas, mas uma alta escala.

Então a margem de lucro ideal para indústrias vai variar entre 5% e 10%.

lucro - curso grátis

Lucro zero: o Ponto de Equilíbrio

Falamos acima da margem ideal de lucratividade por tipo de negócio.

Porém, muitas empresas estão buscando para simplesmente não ter mais prejuízo.

Elas estão buscando atingir o Ponto de Equilíbrio Financeiro. O PE é o mínimo que a empresa precisa faturar para pagar todas as contas e não ter prejuízo.

Em outras palavras: quando a empresa atinge o Ponto de Equilíbrio ela não teve lucro, mas também não teve prejuízo. Ficou no zero a zero.

O PE é uma fórmula calculada assim:

 

PE = Gastos Fixos / % da Margem de Contribuição

(Ponto de Equilíbrio é igual aos Gastos Fixos divididos pelo percentual da Margem de Contribuição)

 

Este cálculo é de extrema importância para todos os negócios e lhe permite ter uma base mínima das metas a serem atingidas.

Neste post aqui nós explicamos detalhadamente como fazer esse cálculo do Ponto de Equilíbrio. Lá você poderá baixar gratuitamente uma planilha em Excel para auxiliar no cálculo.

 

Se sua empresa não está sendo lucrativa, o primeiro passo é chegar no zero a zero. Para tal você precisa ter a clareza desta meta a ser alcançada.

 

Distribuição de Lucros: quanto posso retirar?

A distribuição de lucros é o principal fator que faz um empresário se tornar rico.

Mas quanto devo retirar?

Será que devo retirar?

(neste post falamos sobre distribuição de lucros de forma mais profunda)

Basicamente você tem que avaliar em qual dos 3 níveis sua empresa está:

Nível 1: ou está muito iniciante ou praticamente não tem lucro. Neste caso, o melhor é não retirar nada.

Nível 2: empresa é lucrativa e tem reservas financeiras razoáveis. Aqui a maior parte dos lucros fica com o negócio, mas você já pode fazer uma distribuição entre os sócios. 30% do lucro é um número interessante.

Nível 3: empresa lucrativa e com ótimas reservas financeiras. Caso você não tenha grandes planos de expansão, você pode retirar a maior parte dos lucros para os sócios, mas sempre deixando uma parte para a empresa, ok?

A palavra chave na distribuição de lucros é: bom senso.

 

Falácia do lucro de 100%

Você já deve ter ouvido falar frases como “tenho 100% de lucro” ou então “fulano de 200% de lucro”.

Pois bem, apesar de bem intencionada, tecnicamente esta frase está incorreta.

É impossível uma empresa ter 100% de lucro. Esta é uma grande falácia.

A verdade é que estes “100%”, “200%”, etc. de lucro, referem-se a outro conceito: o mark-up (ou taxa de marcação).

O lucro sempre é calculado em cima do faturamento.

Então dizer que você tem 100% de lucro seria como dizer que sobrou (lucrou) tudo o que você vendeu. Isso é impossível.

Neste caso, o certo é dizer que você tem um mark-up de 100% ou 200% ou 345%. Aí tudo bem.

O mark-up (ou taxa de marcação) é a diferença que você aplica entre o preço de venda e o custo do produto. Se você tem um produto que te custa 50,00 e você o vende por 100,00, significa que seu mark-up é de 100%.

Se você quiser compreender mais profundamente, recomendo que leia nosso artigo: Você nunca teve e jamais terá 100% de lucro.

Não vejo o lucro: quando é hora de parar e fechar o negócio?

Quase metade das empresas fecham suas portas em menos de dois anos de existência.

Por vários motivos essas empresas acumularam prejuízos e foram obrigadas a fechar as portas.

Mas com saber se o negócio realmente não dá certo e é hora de fechar?

O segredo está no Lucro Operacional.

Se consistentemente a empresa não dá resultado operacional, o problema é grave. Ou seja, se mesmo excluindo da conta todos os juros e empréstimos pagos ainda assim o negócio não é positivo, significa que há algum problema operacional na empresa. Provavelmente será um misto de vendas ruins, margens baixas e despesas altas.

Cabe ao empreendedor entender quis resultados ele precisa alcançar para que a empresa fique positiva.

Se você avalia que está MUITO longe de alcançar tal resultado, possivelmente seja hora de dar um passo atrás e tentar vender ou fechar o negócio.

Você pode entender esta análise de forma mais profunda aqui.

Cultura de lucro. Sua empresa tem?

Tudo isso que abordamos neste post pode se resumir nestas poucas palavras: cultura de lucro.

Cultura de Lucro é você ter toda a empresa focada no lucro.

São os colaboradores entendendo a lógica financeira e comprometidos com o aumento das vendas e com a redução de custos.

São os sócios tratando o dinheiro da empresa como dinheiro da empresa e não como dinheiro pessoal.

Cultura de lucro é toda primeira semana do mês você estar com o financeiro fechado e analisando dos números, sempre procurando oportunidades de melhoria.

É a empresa gerando resultado positivo de forma consistente.

 

Toda empresa precisa ser lucrativa, ou seja, gastar menos do que recebe e vice-versa.

Uma boa gestão financeira é o que vai permitir o seu negócio ter o lucro desejado e assim lhe dar a liberdade que você gostaria.

Aqui resumimos um arsenal de conteúdo sobre lucro. Espero que tenha gostado =)

Se gostou, compartilha este post nos botões abaixo e deixa seu comentário 😉

 

Grande abraço!!

Renan Kaminski | criando empresas altamente lucrativas

lucro - curso gratuito

O que é Lucratividade, como Calcular e por que a 4blue decidiu diminuí-la.

(e não é loucura)

                                                                                                                                   

Se você acompanha a 4blue sabe que sempre.. sempre.. mas sempre meeeeesmo ressaltamos que o indicador financeiro mais importante para uma empresa é a Lucratividade.

Mais do que faturamento, mais do que vendas e mais do que outros indicadores. (lembrando que estou falando de indicador financeiro)

Mais do que “quanto entrou” é importante sabermos “quanto sobrou”.

Mas neste post eu vou explicar o porquê decidimos diminuir nossa lucratividade.

O que é Lucratividade?

É o índice que mostra como seu lucro está. Em exemplo, se você fatura 100mil e tem um lucro de 10mil, sua lucratividade é de 10%.

Ou seja, de todo o seu faturamento, você pagou todas as suas contas e no final sobraram 10%.

Por isso que é o indicador mais importante para uma empresa.

Qual a lucratividade esperada para cada tipo de empresa?

Esta informação varia muito. Mas é basicamente assim:

E por que isso? Uma empresa de serviço normalmente tem pouco custo variável e tem uma capacidade máxima de vendas. Por exemplo, um salão de beleza.

Imagine que trabalho sozinho. Eu não consigo cortar infinitos cabelos. Desta forma eu faturo menos, mas meu lucro proporcional é maior.

Já uma loja de roupa pode ter uma capacidade maior de aumentar as vendas. Mas possui muito custo envolvido para isso, por isso a lucratividade esperada por cair.

Mas então é melhor abrir uma empresa de serviço?

Não, a lucratividade é uma proporção. Se você tem um salão de beleza que fatura 10mil e tem lucratividade de 20%, você terá 2mil de lucro.

Já uma loja que fatura 50mil, mas tem uma lucratividade de 10% vai ter 5mil de lucro.

Cada caso é um caso.

Mas você precisa ficar atento a esse percentual. É o mais importante, sem dúvida alguma.

(nós temos um guia completo sobre Lucro. Você pode acessá-lo aqui).

Histórico de lucratividade da 4blue!

Pensando nisso, sempre nos focamos na lucratividade.

E nos últimos 12 meses nossa lucratividade média está bem boa. A média é de 32,7%

Ou seja, de tudo o que faturamos. Pagamos pessoal, pró-labore, nossa estrutura, investimentos, impostos, etc e etc e sobra 32,7%

 

O que é muito bom e deve ser muito comemorado (inclusive sempre vamos numa churrascaria se no bimestre a média for superior a 30%)

Mas...

Mas...

Mas...

Uma reunião em junho de 2017 as coisas mudaram.

Decidimos “diminuir” nossa lucratividade de forma forçada.

Isso mesmo:

Vamos forçar a diminuição de nossa lucratividade.

 

Por que decidimos diminuir a nossa lucratividade?

 

Bem, se você reparar ali em cima, a lucratividade vem depois de pagar custos variáveis, fixos e investimentos (pode ler mais neste artigo sobre estas categorias).

A 4blue vem crescendo constantemente desde 2009.

E só conseguimos crescer porque investimos muito.

A nossa missão é fazer pequenas empresas crescerem. Principalmente no pensamento de grande empresa.

Muitas empresas continuam pequenas por medo de investir. Ou até mesmo por não saber onde e quanto investir.

O ponto é: a 4blue investe muito. Para você ter uma ideia, nos últimos 12 meses investimos em média 23,2% de nosso faturamento.

Investimento é crescimento! Ponto!

Mas é claro que para isso você precisa ter noção do quanto você pode ou não investir. Não vá saindo investindo em tudo o que vem na cabeça que não é bem assim.

O grande ponto é que com 30% de lucratividade e já com uma reserva financeira de quase 12 meses (ou seja, se pararmos de faturar hoje, entrar zero, nadinha, conseguimos pagar toda nossa estrutura por 12 meses).

Enfim.... com uma reserva e um lucro desse temos uma gordurinha a mais para investir ainda mais.

(não pense que quando a gente não tinha reserva a 4blue não investia, pelo contrário. Desde 2009 a gente investe com o objetivo de crescer. Lembre sempre disso).

Então é por isso que resolvemos “diminuir” nossa lucratividade. Tudo o que ficar acima de 15% iremos reutilizar para investir, seja em Marketing, Cursos, Consultorias, Mentorias, Pessoal.

Iremos nos focar em investir no que vai trazer mais resultado para as pequenas empresas e para a 4blue.

O objetivo é crescer e crescer... e crescer... e crescer.... e com isso ajudar cada vez mais empresas do mundo inteiro.

Se quer crescer junto com a gente teremos o enorme prazer em contribuir com você. Já fez nosso curso grátis? CLIQUE NESSE LINK E INSCREVA-SE

Já fez nossa aula grátis de Gestão Financeira em 5 Passos? Segue link aqui.

Invista em você mesmo, invista em sua empresa e colha os frutos =D

O Faturamento é o indicador menos importante do seu negócio!

Provavelmente você já viu várias noticias e matérias principalmente em revistas de empreendedorismo com notícias voltadas a valores enormes de faturamento.

Mas veja bem: O faturamento não é tudo isso que parece ser.

Lógico que ele é extremamente relevante e importante, mas não é o indicador financeiro mais importante para o empresário como as vezes temos a impressão.

Mas como assim?

Faturamento

Façamos uma breve análise: Imagine que o faturamento, absolutamente tudo que entrou de dinheiro na sua empresa soma cerca de R$100mil reais.

Imagine que esses R$100mil reais são uma maçã:

Desses R$100mil reais, você precisará para impostos… Uma mordida do governo.

Ou seja, já não são mais R$100mil.

Agora lembre-se também que você terá a mordida dos fornecedores , das taxas pagas para as máquinas de cartão de débito e crédito , as comissões dos seus vendedores …

Enfim, seus R$100mil já foram abocanhados por uma porção de custos que você tem para sua empresa funcionar.

E essas mordidas são apenas o que a gente costuma chamar de CUSTO VARIÁVEL, que são basicamente os custos que são diretamente ligados, atrelados a sua venda!

Então, enquanto você acha que tem R$100mil disponível, na verdade tem apenas R$50mil, R$40mil… ou até menos!

Antes de continuar, inclusive, essa visão errada é tão comum que até produzimos uma ferramenta de Análises Financeiras e um Curso Online de Análises Financeiras.

Eles muito bem aceitos e nos dão alguns dos melhores feedbacks!

MAS, OBVIAMENTE, NÃO ACABA POR AÍ...!

TOOOODOS os gastos fixos do seu negócio, que serão mais algumas abocanhadas na maçã (OPA, faturamento rss):

- Luz, Água, Telefone, Internet, contador, investimentos em marketing, em bens materiais, VOCÊ, seus sócios - se você tiver…

Tudo isso demanda mais e mais mordidas na maçã!

E acredite, boa parte do faturamento pode ser abocanhada por você, ou por todos os sócios!!

Principalmente naquelas empresas aonde a conta Pessoa Jurídica e a Pessoa Física corretamente separadas!

Já atendemos empresas com R$20mil, R$1milhão de faturamento… Em alguns casos a empresa de R$20mil era muito mais lucrativa que a de R$1milhão, exatamente por conta da relação entre esses custos - e esses gastos não separados.

Essa é a síntese da gestão financeira eficiente!

Ou seja, o que importa no mundo dos negócios não é necessariamente o tamanho da sua maçã - ou do seu faturamento - e sim o quanto sobra disso no final!

Vamos nos conectar?
Newsletter
Deixe seu e-mail aqui e comece a receber dicas e novidades exclusivas!
© 2022 4blue | Desenvolvido por Fresh Lab Agência de Marketing Digital
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram